Complexo Mineroindustrial de Serra do Salitre vai contribuir para reduzir a dependência do Brasil em relação aos fertilizantes importados, impulsionando o agronegócio nacional. 

É considerado um complexo, porque sua operação inclui desde a mineração, passando pelo beneficiamento da rocha fosfática até a produção de fertilizantes para a agricultura.

O projeto permitirá ao país substituir a importação de 1 milhão de toneladas por ano de fertilizantes fosfatados, reduzindo assim a dependência de importações e o déficit da balança comercial do setor. 

Capacidade de produção:

1,2 Milhão de toneladas/ano de concentrado fosfático

950 mil toneladas/ano de fertilizantes granulados

1 Milhão de toneladas/ano de ácido sulfúrico

250 mil toneladas/ano de ácido fosfórico

Geração de energia:
28,5 MW: Equivalente a energia consumida por um cidade de 40 mil pessoas.

1,2 mil

empregos diretos e contratados (operação)

 

3,5 mil

empregos no pico de obra (implantação)

ENTENDA O QUE É UM COMPLEXO MINEROINDUSTRIAL

DO MINÉRIO AO FERTILIZANTE. DO CAMPO PARA A MESA.

infografico.jpg

Quando entrar em plena operação, o Complexo Mineroindustrial de Serra do Salitre (CMISS) produzirá desde o minério até o fertilizante pronto para o agricultor utilizar. 

Assim, CMISS conta com uma unidade de mineração moderna, construída com  avançada engenharia e licenciada seguindo todas as exigências dos órgãos ambientais responsáveis. A unidade é responsável por retirar a rocha fosfática do solo e beneficiá-la, tornando-a matéria-prima para a produção do fertilizante: o concentrado fosfático. 

A planta química, atualmente em construção, tem como principal objetivo aumentar a produção de fertilizantes fosfatados e diminuir, desta forma, a importação de matérias-primas utilizadas pelos agricultores brasileiros. Após o término dessa etapa, o Complexo passará pelas fases de pré-operação e pelas operações assistida e comercial.

Quando a operação de CMISS estiver produzindo a 100% da sua capacidade, Serra do Salitre adicionará 1 MMT de fosfato à atual produção anual da EuroChem de 5 MMT.  

Atualmente, o Grupo possui duas minas de fosfato: a instalação Kovdorskiy GOK no norte da Rússia e a EuroChem Fertilizantes no Cazaquistão, e fabrica produtos comerciais de qualidade premium MAP, DAP, NP e fosfatos de ração em vários locais de produção na Rússia e Lituânia. 

A EuroChem é um dos principais produtores globais de fertilizantes de nitrogênio, fosfato e potássio. O Grupo está verticalmente integrado com atividades que abrangem a mineração até a produção, logística e distribuição de fertilizantes. A EuroChem iniciou a produção de potássio em seu site Usolskiy em 2018 e, desde então, aumentou a produção para a fase 1 com capacidade operacional de 2,3 MMT por ano.  O Grupo continua a desenvolver um segundo projeto Greenfield em VolgaKaliy, na Rússia. Com sede em Zug, Suíça, o Grupo opera instalações de produção na Europa, Ásia e CIS, empregando mais de 27.000 pessoas. No Brasil, a empresa opera 10 fábricas próprias e terceirizadas de misturas de fertilizantes no Centro-Norte Brasileiro, tendo posição de destaque nessas regiões.